Cerejas Com Morangos





sábado, 23 de outubro de 2010

Fernando Pessoa, verdade, existência e identidade


Uma vez eu escutei uma pessoa dizer que não gostava de Beatles, e eu respondi que se ele não gostava é porque não conhecia direito, porque quando a gente conhece , a fundo mesmo, não tem como não gostar. Para essa mesma pessoa tive o cuidado de selecionar as músicas que eu mais gosto ( e foi muito dificil porque eu gosto de todas rs) e presenteá-la com um CD. Esta pessoa, escutou , gostou e passou a gostar de Beatles também. Acho que nem tanto quanto eu porque eu, minha família e Beatles temos uma história de amor bem longa.
Isso aconteceu comigo também com a obra de Fernando Pessoa.
Nunca gostei muito...
Achava ele muito chato , dramático , pessimista. Achava cansativo ler um livro dele. Com aquelas xurumelas todas...ai...
Até que um dia, não faz muito tempo visitei uma Exposição muito linda dele no Museu da Lingua Portuguesa. A exposição era muito bem montada e contava sua história e um pouco da sua obra.
Fiquei fascinada!! Foi aí que eu percebi que eu também não conhecia, conhecia superficialmente e por isso não gostava.
Ele criava personagens poéticos completamente diferente uns dos outros,com suas próprias manifestações artísticas, que também eram bem diferentes do "Fernando Pessoa". Várias personalidades em uma pessoa só.
A crítica literária diz que Fernando Pessoa criou sua obra escrevendo sobre a verdade, a existencia e a identidade.
Mas daí eu me pergunto: Como uma pessoa que escrevia com 72 diferentes personalidades pode escrever sobre a verdade? Qual era a sua verdade?
Tem uma frase dele que eu gosto muito e que eu acho que explica tudo isso:

"Com uma tal falta de gente coexistível, como há hoje, que pode um homem de sensibilidade fazer senão inventar os seus amigos, ou quando menos, os seus companheiros de espírito?"

Eu sempre me pergunto ,aonde estão as pessoas de verdade?

Desde que resolvi mudar de vida, a busca por mim mesma se tornou primordial.
A decisão pela verdade foi a primeira coisa a ser mudada.
Sem a verdade, não damos ao outro e a nós mesmos,o direito de saber quem realmente somos, e o direito dele escolher se quer ou não caminhar ao nosso lado. É direito e liberdade de todos.
Digo isso para qualquer forma de relacionamento. Entre familiares, amigos, namorado,casais, etc.
A verdade simplifica o caminho que é único, sem bifurcações ou vias tortas. Não existem meias verdades ou uma mentira boa.

Bem, tem um site muuuuuuito legal e interessante , com todas as obras dele, sua biblioteca, etc. Vale a pena dar uma fuçada:http://casafernandopessoa.cm-lisboa.pt/


Ah ! E a exposição no Museu da Lingua Portuguesa em SP fica até o final de janeiro de 2011, dá tempo ainda ! Vale a pena!
Veja também uma sequência de fotos da exposição:
http://entretenimento.uol.com.br/album/fernandopessoa_museulingua_sp2010_album.jhtm#fotoNav=12

"Não sou nada.
Nunca serei nada.
Não posso querer ser nada.
À parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo"

2 comentários:

  1. Eu tb não gosto muito de Beatles...
    Será q eu ganho um CD? hehehe

    ResponderExcluir
  2. esqueci de dizer que te amo....

    bjao

    marcio brito

    ResponderExcluir